terça-feira, 27 de setembro de 2011

Jardim Surreal

O Jardim Surreal de João Miguel Lanita, um dos Professores da Escola de Fotografia Câmera Viajante ( www.cameraviajante.com.br ) de Porto Alegre-RS.


quinta-feira, 9 de junho de 2011

Com tanta getne possuindo Câmeras Fotográficas qual o papel do Fotógrafos de hoje?

Foto: Gutemberg Ostemberg - Porto Seguro - Bahia



A busca fotográfica

Atualmente a tecnologia abreviou muitos processos dentre eles a fotografia em especial.Se pegarmos as reportagens publicadas principalmente em revistas, fatalmente iremos nos deparar com imagens e informações garimpadas na Internet. Hoje em dia é muito fácil entrar em um site de busca e lá conseguir todas as informações necessárias para se escrever uma matéria ou mesmo conseguir uma imagem do local. Deixou de existir a necessidade de se estar no local para poder documentar o que existe lá. Mas o que tudo isso tem haver com fotografia? A grande questão é buscar as suas imagens sob um ponto de vista muito pessoal.A tecnologia está cada vez mais condicionando as pessoas a acharem que uma boa foto está obrigatoriamente vinculada à um equipamento de ponta. “Se tenho um grande poder aquisitivo, sou um bom fotógrafo”. Do contrário, minhas fotos nunca serão tão boas quanto as dos outros. O que muitos esquecem é que a câmera depende de alguém para apontá-la para um objetivo, dizer para ela o que ver e como ver e ainda por cima apertar o “gatilho”. Sozinha as câmeras fotográficas digitais ou analógicas, pouco podem fazer. Talvez a tecnologia permita que a maior parte das imagens saiam com uma qualidade de iluminação adequadas, mas e o diferencial? Somado a isso vem à questão de buscar a fotografia. Investir tempo e dinheiro em visitar locais diferentes que possam render boas imagens. Quem nunca pegou um livro do Sebastião Salgado, Pedro Martinelli, ou Cristiano Mascaro dentre inúmeros outros ícones da fotografia nacional e não se impressionou com as imagens contidas lá. Mas o que esses fotógrafos têm de tão especial? Por que eles conseguem imagens que para nós parecem inalcançáveis? Talvez o grande diferencial esteja em eles buscarem a fotografia onde ela realmente está. Ir de encontro aos fatos e personagens utilizando a câmera apenas como ferramenta de registro e não como item principal do seu trabalho. E porque tantas pessoas se preocupam cada vez mais com equipamentos? Conhecer a técnica é fundamental e fazer dela um meio de se expressar é tão importante quanto. Mas hoje eu vejo mais pessoas se gabando dos equipamentos que possuem do que exatamente do trabalho que estão realizando. Será que esse é o futuro? Se seguirmos assim pode ser que um dia ao lermos a legenda de uma foto nos deparemos com frases do tipo: Nikon D500 – disparada por Fulano de Tal. Seria estranho, né? Confesso que eu não sou tão pessimista quanto ao futuro da fotografia.Acredito que com a revolução do digital, haverá em breve uma enorme valorização dos fotógrafos. A qualidade técnica passará a ser um padrão, mas profissionais começarão a se destacar pelos pontos diferenciais de suas imagens. Será cada vez mais forte a identidade de uma imagem e quem pretende se destacar na fotografia deverá se preocupar em buscar o seu diferencial. Na fotografia, como toda arte, devemos buscar motivos que nos motivem a fotografar e linguagens que consigam transportar todas as nossas expectativas e emoções. Uma das grandes falhas de boa parte dos fotógrafos é ter a pretensão que o mundo inteiro goste de suas imagens com intensidades homogêneas. Isso é um erro e muitos acabam fazendo uma fotografia pasteurizada, sem “tempero”. É impossível agradar a todos. Cada pessoa possui a sua própria biblioteca visual e isso faz com que cada imagem seja avaliada e julgada de uma forma muito particular. Até mesmo o estado emocional de uma pessoa afeta a opinião dela sobre uma imagem. Sendo assim, devemos buscar o nosso diferencial com afinco e tentar pensar o que pretendemos com cada imagem. Por que eu fiz determinada foto? O que me motivou a apertar o disparador naquele momento e com aquela configuração de equipamento? Isso é muito importante. Há pouco tempo atrás perguntei para alguns fotógrafos quais eram as primeiras pessoas que viam as suas imagens. Muitos me responderam que membros da família eram os primeiros a ver as imagens.Isso é muito importante mas todo mudo sabe que mãe acha lindo tudo o que o filho faz. É normal. No caso da minha mãe ela já diz que tudo é horrível para ver se desestimula o meu interesse em me meter em lugares não muito normais, para a maioria, em busca de uma imagem. Mas isso faz parte de mim. Eu gosto de olhar para uma imagem e ver que ali teve muito mais do que um simples disparo. Para mim é importante enxergar nas minhas fotografias a história por trás de cada uma delas. Muitos especialistas em edição dizem que você deve se desapegar das suas imagens porque isso faz com que a edição de imagens seja tendenciosa.Mas como não ser tendencioso diante de todas as dificuldades que passamos para alcançar um determinado local e fazer uma foto? Se ela não saiu tecnicamente perfeita, isso é uma questão a se resolver mas o importante é que o fotógrafo esteve lá e enfrentou dificuldades com o intuito de registrar um momento. Isso é fotografar.Melhor ainda é quando outras pessoas olham para as suas imagens e conseguem ler nelas todo o desafio e logística que envolveu aquela imagem. Mas para resumir tudo isso, a dica é: busque as suas imagens além do seu equipamento. Planeje as suas fotos e colha o resultado posterior de forma a trazer para as suas imagens a sua assinatura. Busque qualidade técnica mas não faça dela o seu único objetivo. Vá além. Outra dica é: se você quer ouvir apenas elogios, mostre as suas imagens somente para sua mãe. Se você quer crescer como fotógrafo aprenda a ouvir críticas e elogios e filtrá-los de forma positiva. Um grande abraço. * Bruno Guillon Ribeiro é graduado em Rádio e Televisão e está cursando pós-graduação em Fotografia. Mergulhador desde 1997, formou-se como Instrutor NAUI em 1999 e em 2003 pela PDIC. Fotógrafo desde 1994, tem como preferências a Fotografia de Natureza assim como a Fotografia Submarina. E-mail - bruno.guillon@uol.com.br

Fonte: Portal de Fotografia

sábado, 28 de maio de 2011

Tons Uruguaios


Tons Uruguaios, upload feito originalmente por Gutemberg Ostemberg.

Cenário de uma bela manhã no trajeto de Montevidéu para Colônia de Sacramento, no Uruguai.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Na Luz da Manhã...


Na Luz da Manhã..., upload feito originalmente por Gutemberg Ostemberg.

Uma de minhas primeiras experiências de macro. Os detalhes centrais de uma singela flor, em Carlos Barbosa-RS.

Todos os Direitos Reservados
Photo: Gutemberg Ostemberg

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Belo em Bonito... / Mato Grosso do Sul / Brasil / Brazil / Natureza / Nature

Ainda podemos dizer que o lugar é praticamente um paraíso... Naturezas exuberante; peixes que esbarram em nossos corpos enquanto mergulhamos ou nadamos; pássaros em quantidade, clima agradável. Um lugar como este não poderia ter outro nome, a não ser: Bonito. Esta fotografia foi tirada durante um passeio com amigos gaúchos e familiares. O dia estava muito agradável. Canon 50D, Lente 18-55mm Canon, Polarizador, Tripé.

By Wikipédia: "Pólo do ecoturismo em nível mundial, suas principais atrações são as paisagens naturais, os mergulhos em rios de águas transparentes, cachoeiras, grutas, cavernas e dolinas. É a principal atividade da região[7] há muito tempo, além de estar em constante evolução buscando a interferência mínima na natureza. Bonito reúne um conjunto de equipes, empresas, ONGs e órgãos governamentais que buscam organizar e coordenar o ecoturismo, visando sempre a sustentabilidade local e a conservação da natureza. A cidade tem seu próprio gestor de turismo, o Bonito Convention & Visitors Bureau. As agências da cidade organizam passeios para todo tipo de público, como o mergulho da superfície ou flutuação, rapel, passeios a pé e a cavalo, que permitem conhecer suas atrações naturais e o cotidiano das fazendas. Nos roteiros culturais, conhece-se as lendas, músicas e costumes regionais. É o centro da prática de esportes na natureza, oferecendo grande número de atividades em diferentes atrativos"

We can still say that the place is practically a paradise ... Exuberant nature, fish that come up against our bodies as we dive or swim, birds in quantity, pleasant climate. A place like this could not have another name, unless: Beautiful. This photograph was taken during an outing with friends and family gauchos. The day was very enjoyable. By Wikipedia: "Pole ecotourism worldwide, its main attractions are the natural landscape, the dips in rivers of clear waters, waterfalls, caves, caverns and sinkholes. It is the main activity of the region [7] for a long time, and be evolving seeking minimal interference in nature. Bonito gathers a group of teams, companies, NGOs and government agencies that seek to organize and coordinate ecotourism, always seeking local sustainability and nature conservation. The city has its own tourism manager the Nice Convention & Visitors Bureau. The city agencies organize tours to all audiences, such as diving or surface fluctuation, rappelling, hiking and horseback, allowing us to know its natural attractions and daily life of farming. In cultural tours, is known legends, songs and customs. It is the center of sports in nature, offering many activities in different attractive "

Todos os direitos reservados ©, sendo proibida qualquer reprodução ou divulgação, com ou sem fins comerciais, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem a minha prévia consulta e aprovação, conforme lei LEI N.º 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998, que rege sobre o Direito Autoral!
All Rights Reserved
Photo: Gutemberg Ostemberg